quarta-feira, 18 de abril de 2007

Vai um barricamento?

Já se sabia que Portugal era conhecido pelas belas "Barracadas" que dá -interna ou externamente- e pela maneira como se tentam sair delas depois. Basta ver como estão a tentar fazer um Engenheiro onde (aparentemente) nunca existiu nenhum... ele bem que se esforçou, até entregou trabalhos no fim de já ter o diploma e tudo!

Mas outra tendência destes últimos tempos é a "Barricada". De acordo com o dicionário:
barricada
| s. f.
sing. part. pass. de barricar
fem. sing. de barricado

barricada do Fr. Barricade
s. f.,
trincheira provisória, feita com barricas cheias de terra, estacas, etc.

e "Barricar":
barricar | v. tr.

defender com barricas ou barricadas;
entrincheirar.

Bem, os dicionários são fixes e tal, mas a mim não me dizem muito... pelo menos neste caso, senão vejamos alguns exemplos:

4 de Janeiro de 2001. Manuel Subtil entra nas instalações da RTP, na Avenida 5 de Outubro, às 7:22 com a filha mais nova, a enteada, a mãe da filha e a mulher.

Após ameaçar um segurança com uma arma de fogo e com very-lights, (mais tarde afirmou que estavam descarregados) barricou-se numa casa de banho durante cerca de nove horas.

Dia 17 de Julho de 2006, um antigo militar da GNR, de 30 anos, foi detido em Campo Maior depois de várias horas barricado na casa dos pais, de onde durante a madrugada disparou tiros aparentemente para afastar ladrões.

Dia 23 de Fevereiro de 2007, um estudante de Direito, de 42 anos, barricou-se durante cerca de três horas numa sala de espera da Universidade Lusíada do Porto, ameaçando imolar-se pelo fogo.

Ontem, um homem que queria impedir a penhora do apartamento, entrou com uma arma de fogo carregada numa agência do Montepio Geral em Gaia. Saiu, de braços no ar, ao fim de duas horas e foi detido pela PSP. A pasta foi detonada, mas não continha explosivos.

Enfim, não me parece que nenhum destes indivíduos tenha usado barricas ou estacas ou cavado trincheiras... será que em Portugal já não faria sentido actualizar a definição no dicionário?
Poderia ficar qualquer coisa como:

barricada | s. f.
sing. part. pass. de barricar
fem. sing. de barricado

barricada do Fr. Barricade
s. f.,
tentativa parva e inútil de tentar pressionar os responsáveis (ou não) pela sua situação (normalmente desesperada) fechando-se nas instalações e, geralmente, ameaçando rebentar "com isto tudo".

Não parece muito desfasado da realidade pois não? É que ainda não percebi como é que eles querem melhorar a sua situação ameaçando as pessoas de que vão rebentar coisas...
Aquilo que lhes pode acontecer é, em geral, piorar ainda mais as coisas.
Vejamos, o tipo que queria impedir a hipoteca do apartamento... não só a verá executada como terá (provavelmente) de pagar multas e cumprir prisão... isto sim, é subir na vida!

A situação tornou-se de tal maneira "descontrolada" pela repetição exaustiva da estratégia, utilizando o poder da televisão para a resolução de problemas pessoais, que levou alguns órgãos de comunicação a assinar uma declaração de compromisso para colocar fim ao tratamento noticioso desta forma de protestos.

No entanto, nos últimos dias temos vindo a assistir a uma barricada (ou será barracada) de um homem (há quem levante dúvidas) fechado no Palácio de São Bento e que insiste que é Engenheiro... será que este terá sucesso nas reivindicações?

3 comentários:

kspy disse...

lol..

Eu pessoalmente continuo a preferir o método de pegar numa barra de ferro e partir os vidros da carrinha do responsável! Depois mandar um tiro no portão para acalmar...

Realmente isto é o espelho de um país completamente perdido. Nos USA quando se quer dar nas vistas pega-se numa arma e mata-se 20, 30 pessoas. Aqui barricam-se em casas proprias ou WCs e fazem ameaças com very-lights.

Agora a serio. Mudem lá o significado de barricar. :)

Cumps

zeperdi disse...

Sendo os WCs tugas tão limpos e bem cheirosos (hehehehe) como é possível que alguém se barrique num WC?!

Carlos disse...

Quer dizer... nos USA também há aqueles que tentam assaltar bancos passando uma chamada de um telemóvel, em que o assaltante está do outro lado da "linha" a dizer que é um assalto! :P

Hum... pois... mas o cromo que levou o telemóvel até ao banco era portuga!!! LOOL :) Tá visto!