quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Paga na hora e depois logo se vê...

Já nem se devia estranhar, pois há muito se sabe que a justiça em Portugal é no mínimo... injusta. Daí resultam leis - ou coisas parecidas com leis - mais ou menos extraordinárias.
Com certeza que já ouviram o termo que diz que qualquer suspeito é inocente até que se prove a sua culpa.
Bem, pelos vistos, quem pegou na nova lei das drogas ao volante (não deve ser o nome oficial mas não me apeteceu chafurdar mais nesta bela... trampa) achou que isso não fazia qualquer sentido pois dava sempre muito trabalho para o lado deles, e passou a fazer exactamente o contrário.
Culpado até (provavelmente demorada e onerosa) prova em contrário.

Ou seja, se estivermos a tomar um qualquer anti-depressivo - que é só uma das classes de fármacos mais consumidas em PT - e mesmo que este não seja passível de perturbar o acto de conduzir, é-se multado, e para se reaver o dinheiro, tem de se recorrer ao tribunal de modo a provar que era legítimo ter aquela substância no organismo e que não se vinha de uma festa cuja temática fosse uma orgia medicamentosa (parece que nos States está em voga).
Ora, sabendo como estão os tribunais no nosso Rectângulo, não é difícil de imaginar a morosidade com que um eventual processo se irá deparar... a juntar às custas judiciais, somar-se-ão as custas... com anti-depressivos...

A ver vamos se são as taxas de acidentes na estrada que descem, ou a dos suícidios por depressão que sobem...

1 comentário:

kspy disse...

esses camelos multaram.me em cbr... dasss

ja nao se pode estacionar descansadinho pah...